Presidente da Argentina diz que ‘brasileiros vieram da selva’ e Bolsonaro reage com ironia; “para eles não têm vacina”

Fonte: Aratu On

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ironizou nesta quinta-feira (10/6), as declarações do presidente da Argentina, Alberto Fernández. Ele afirmou que os brasileiros saíram da selva e seus compatriotas vieram de barco da Europa.

O presidente da Argentina falou que eles vieram da Europa, de barco, e nós viemos da selva, né? Eu lembro uma coisa que, logo quando a Chavez morreu, assumiu o Maduro. E ele falava que conversava com os passarinhos que estavam encarnados na figura do Chávez. Acho que o Maduro e o Fernandez, para eles não têm vacina, tá ok? — disse, rindo aos apoiadores na saída do Palácio da Alvorada após ser questionado sobre o assunto.

Minutos depois, Bolsonaro acrescentou que conversou com o ex-presidente argentino Mauricio Macri, e disse que a rivalidade com o país vizinho deve ficar restrita ao futebol.

“Essa frase do presidente da Argentina, que nós viemos da selva. Troquei mensagem por “Zap” hoje com o ex-presidente Macri, da Argentina. Não tem nenhum problema entre nós nem com o povo argentino. Rivalidade com a Argentina, só no futebol”, concluiu.

ENTENDA A CONFUSÃO

Nesta quarta-feira (9),o mandatário argentino, Alberto Fernández, causou polêmica ao fazer declarações de teor xenofobico durante entrevista coletiva.

“Particularmente, eu sou um europeísta. Sou alguém que crê na Europa, porque, sobre a Europa, escreveu certa vez Octavio Paz, que os mexicanos saíram dos índios, os brasileiros saíram da selva, mas nós – os argentinos – chegamos de barcos. E eram barcos que vinham de lá, da Europa”, disse o presidente argentino.

Após a repercussão negativa, Fernández se desculpou pela fala através de seu perfil no Twitter. “Afirmou-se mais de uma vez que ‘os argentinos descendem de navios’. Na primeira metade do século 20, recebemos mais de 5 milhões de imigrantes que viviam com nossos povos nativos. Nossa diversidade é um orgulho. Eu não quis ofender a ninguém, de qualquer forma, a quem se sentiu ofendido ou invisibilizado, desde já minhas desculpas”, escreveu.

No entanto, a frase não foi escrita pelo poeta mexicano Octavio Paz, como disse o presidente. Na realidade, trata-se de uma estrofe da música “Llegamos de los barcos” (“Chegamos nos barcos”) do roqueiro argentino Lito Nebbia, amigo pessoal de Fernández, segundo o jornal Clarín.

Após a repercussão negativa, Fernández se desculpou pela fala através de seu perfil no Twitter. “Afirmou-se mais de uma vez que ‘os argentinos descendem de navios’. Na primeira metade do século 20, recebemos mais de 5 milhões de imigrantes que viviam com nossos povos nativos. Nossa diversidade é um orgulho. Eu não quis ofender a ninguém, de qualquer forma, a quem se sentiu ofendido ou invisibilizado, desde já minhas desculpas”, escreveu.