Contrário a desobrigar máscaras, Queiroga pode deixar ministério da Saúde nas próximas semanas

Após contrariar a ideia do presidente Jair Bolsonaro de desobrigar a utilização de máscara por pessoas vacinadas ou já infectadas pela covid-19, o ministro Marcelo Queiroga, titular do ministério da Saúde, pode deixar a pasta nas próximas semanas.

Na última quinta-feira (10), Bolsonaro afirmou que havia orientado o ministro a assinar um parecer desobrigando o uso de máscaras por pessoas que já tiveram covid-19 e por vacinados. Poucas horas após a declaração do presidente, Queiroga declarou que a desobrigação da utilização da máscara só poderia ocorrer com a vacinação de grande parte da população brasileira.

De acordo com o Correio Braziliense, o presidente tem relatado a interlocutores que está descontente com os posicionamentos do ministro. Queiroga também estaria incomodado com a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia que o anunciou, na sexta-feira (18), como investigado.

O titular da Saúde é o quarto a ocupar a cadeira no governo Bolsonaro. Além de Queiroga, Luiz Henrique Mandetta (DEM), Nelson Teich e Eduardo Pazuello já comandaram o ministério do país.