Ocupação da MLB na Corregedoria é marcada por confusão com a polícia

Fonte: Bahia.Ba

A manifestação realizada nesta segunda-feira (12) pelos Integrantes do Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB) na frente da governadoria do estado, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), foi marcada por confusão e agressões entre integrantes do movimento e policiais.

O ato buscou reivindicar contra à prisão do militante Victor Aicau, detido pela polícia e levado para a 11º delegacia de polícia (Tancredo Neves) enquanto participava da manifestação e também para tratar da ordem de despejo emitida pela Justiça para a desocupação do prédio na Avenida Sete, chamado de Ocupação Carlos Marighella.

De acordo com os manifestantes, eles foram recebidos com violência policial e retirados do saguão do órgão estadual, onde pretendiam realizar uma manifestação pacífica.

“Tudo o que a gente queria era sensibilizar o governo porque tinha um mandado de reintegração de posse contra nós, só que ontem a desembargadora suspendeu o mandado e falou que o governo tem que resolver as moradias para retirar a gente do prédio. A gente entrou e estava sentando para ficar no saguão de entrada. A segurança nos recebeu com muita truculência. Eles quebraram até a porta enquanto nos empurravam. Machucaram uma companheira que está em resguardo, acabou de ter filho, bateram nela”, disse o coordenador do MLB, Gregorio Motta.

Ainda em seu depoimento, Gegrório diz ter sido um absurdo a ação, principalmente por parte da segurança patrimonial. “Fomos recebido com porrada, agressão, isso é um absurdo. Ainda mais no momento que o Brasil tá passando, isso é abrir espaço para o facismo, isso não pode ser tolerado”.

Governo rebate

O Governo do Estado emitiu uma nota rebatendo as acusações. Segundo o governo, cerca de 50 manifestantes do MLB invadiram o prédio da Governadoria e agrediram com socos policiais da Casa Militar do Governador e quebraram a porta da entrada principal do prédio.

“O líder do movimento, Vitor Aicau Moraes, foi detido e encaminhado para delegacia após dar socos em um policial que tentava retirar os manifestantes de dentro do prédio público. Os integrantes do MLB chegaram a entrar na sala de funcionários localizada no térreo da Governadoria”, disse um trecho da nota.
Ainda de acordo com o governo, apesar dos manifestantes não terem feito previamente uma solicitação para discutir a pauta, uma comissão do MLB foi recebida, no início da tarde, na Secretaria de Relações Institucionais (Serin), localizada no prédio da Governadoria.

Foto: GOVBA
Foto: GOVBA

“O MLB reivindica acesso à moradia e ocupa um imóvel da Embasa, na Avenida Sete de Setembro. A Embasa solicitou na Justiça a reintegração de posse visando preservar a integridade física e a vida das pessoas que estão ocupando o imóvel, pois há indicativos de haver instabilidade nas estruturas internas do prédio. Já a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Urbano (Sedur) realizou, na semana passada, o cadastro dessas famílias no programa de habitação do órgão”, concluiu a nota.

Trativas

Após a reunião, ficou definido que haverá uma reunião nesta terça (13) presença do secretários da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur) e da Secretaria de Relações Institucionais (Serin) e a Embasa para tratar da solução definitiva da moradia das famílias e em seguida será feita uma uma reunião com o MLB
“Nós estamos aguardando isso, vamos continuar na luta, a Ocupação Carlos Marighella vive e continuará na luta. O MLB continuará empenhado nessa mobilização para que o povo pobre tenha moradia digna, porque morar dignamente é um direito humano e seguimos na luta pelo poder popular e contra o facismo”, disse o coordenador da MLB Gregório Motta.