Com queda de 9,9% em maio, produção industrial baiana ocupa último lugar em ranking do Brasil

Fonte: Bahia.Ba

A produção da indústria de transformação baiana registrou uma queda de 9,9% em maio deste ano, no acumulado de 12 meses. Com o resultado, a Bahia passou a ocupar a última posição no ranking dos 14 estados que participam do estudo Produção Industrial Mensal – Produção Física (PIM-PF).

Segundo a Federação das Indústrias do Estado da Bahia (FIEB), no mesmo período, a indústria de transformação apresentou crescimento de 5,7% no Brasil.

Segundo o gerente de Estudos Técnicos da FIEB, Ricardo Kawabe, o resultado teve influência do fechamento da Ford em Camaçari, além da parada para manutenção na Refinaria Landulpho Alves (RLAM), que impactou expressivamente a produção de combustíveis e outros derivados de petróleo.

Dos 11 segmentos analisados, quatro apresentaram queda na Bahia:

Veículos automotores (-53,9%);
Metalurgia (-22,0%);
Refino de petróleo e biocombustíveis (-16.4%);
Equipamentos de Informática (-13,9%).

Apesar da queda da média geral, alguns setores apresentaram crescimento na Bahia:

Produtos Químicos (16,5%);
Bebidas (13,1%);
Borracha e Plástico (11,0%);
Minerais não metálicos (8,3%);
Couro e Calçados (6,7%);
Celulose e Papel (4,5%);
Alimentos (0,1%).

Kawabe pontua ainda que “outros setores já estão mostrando sinais de recuperação e crescimento na produção. Alguns com evolução bem expressiva. Isso é um sinal que a economia industrial está começando a melhorar”.