Aras se manifesta contra pedido da defesa de Flávio Bolsonaro para arquivar caso das rachadinhas

Fonte: A Tarde

O procurador-geral da República, Augusto Aras, opinou contra o pedido da defesa do senador Flávio Bolsonaro ao Supremo Tribunal Federal (STF) para arquivar as investigações do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) sobre o caso das “rachadinhas” no antigo gabinete dele na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

No recurso, o advogado Frederick Wassef afirmou que o caso deveria ser encerrado sob a alegação de que teria havido ilegalidades ao longo da investigação, como no caso dos relatórios produzidos pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) e compartilhados com o Ministério Público do Rio de Janeiro que embasaram a investigação aberta em 2018.

De acordo com o jornal O Globo, Aras afirmou que não reconhece a existência de ilegalidades ou tentativas de se constranger a defesa, apontadas pelos advogados do filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e diz não ver o constrangimento ilegal alegado pela defesa. Dessa forma, ele opinou para que o pedido de habeas corpus seja negado pelo Supremo.

Segundo a denúncia do Ministério Público do Rio de Janeiro, as chamadas “rachadinhas” eram o esquema segundo o qual assessores do gabinete de Flávio Bolsonaro, então deputado estadual, devolviam parte da remuneração que recebiam.