Economistas preveem baixa de desemprego só em 2023

Alguns economistas brasileiros sinalizaram que a alta taxa de desemprego do país só deve cair e voltar a níveis semelhantes aos de antes da pandemia da Covid-19 em 2023. No trimestre finalizado em maio, a taxa de desemprego no país atingiu 14,6%, ou 14,8 milhões de pessoas, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A situação é ainda pior em relação à população subutilizada: 32,9 milhões.

O ex-diretor do Banco Central Alexandre Schwartsman, argumentou que o ritmo de recuperação dos postos de trabalho depende diretamente de quanto o país cresce neste ano e nos próximos anos. E, a partir das últimas projeções do Banco Central, o desemprego deve permanecer elevado até 2023, quando pode voltar a um patamar semelhante ao de antes da pandemia da Covid-19.

A expectativa de crescimento do Brasil para o 2022 caiu para baixo de 2% em análises recentes de diferentes instituições. O FMI (Fundo Monetário Internacional) fala em 1,9%; o Itaú, em 1,5%; a MB Associados, em 1,4%. Para 2023, a previsão de alta do PIB é de 2,5%, segundo o Banco Central.

Com informações da Folha de S. Paulo.