Estado da Bahia ficará sob o comando de Adolfo Menezes em outubro; governador e vice viajam para o exterior

Fonte: Aratu On

Durante o ato de entrega da proposta da lei orçamentária, o vice-governador João Leão comunicou ao presidente da Assembleia Legislativa, deputado Adolfo Menezes, que assumirá interinamente a Chefia do Executivo em decorrência de missão oficial do governador Rui Costa ao exterior a partir do dia 14 de outubro. Como ele próprio, o governador interino, terá compromisso oficial três dias depois, o honroso cargo de governador interino será ocupado pelo deputado Adolfo Menezes, pois o presidente do Legislativo é o próximo na ordem de sucessão.

A interinidade do presidente da ALBA deve se encerrar no dia 29 quando ele próprio (João Leão) retornará à Bahia, estando prevista a volta do titular, o governador Rui Costa para o dia seguinte, 30 de outubro. Serão, portanto, pouco mais de duas semanas com o deputado Adolfo Menezes ocupando o cargo político máximo no Estado. Surpreso com a revelação do vice-governador, o presidente da Assembleia disse que, sendo confirmados os compromissos do governador Rui Costa e do vice-governador João Leão, assumirá a interinidade com humildade e da forma discreta que essa condição – a interinidade – impõe, dando continuidade às ações administrativas em curso e seguimento à programação e agenda do titular, Rui Costa.

Para ele, mesmo de uma forma interina, será um momento único, pois nunca na vida, esperou chegar tão longe e assumir cargo de tamanha responsabilidade. O deputado Adolfo Menezes agradeceu a Deus e ao povo da Bahia, além do governador e do vice, que demonstram confiança em seu trabalho e postura: “É uma honra para qualquer cidadão, e enobrece a qualquer um, assumir, ainda que provisoriamente, o cargo de governador da Bahia, terra de riquezas econômicas, culturais, ambientais, históricas – terra mater do país e mãe de um povo sem igual em todo o mundo pela hospitalidade e pela alegria”, completou o deputado Adolfo Menezes, primeiro filho de Campo Formoso a galgar tal degrau na política estadual.