Sobrinho de Bolsonaro é investigado por tentativa de feminicídio

O empresário Orestes Bolsonaro Campos, sobrinho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), está sendo investigado por casos de violência contra a mulher. Orestinho, como é conhecido pela família, é réu em dois processos na Justiça de São Paulo por “lesão corporal” e “homicídio qualificado tentado – feminicídio”.

De acordo com os autos dos processos, as mulheres foram ameaçadas com armas, tiros, agressões e afogamentos, além de arrastadas pelos cabelos em momentos de descontrole do empresário. As informações foram reveladas pelo jornal Brasil de Fato e confirmadas pelo UOL.

Segundo o namorado de uma das vítimas, ex-companheira de Orestes, o empresário ameaçou ele e sua namorada há cerca de um ano no interior de São Paulo. “Ele falou que ia me matar e que se não me matasse naquele dia ia ser em outra ocasião”, disse Valmir Oliveira.

Em depoimento à polícia, a vítima afirmou que Orestes entrou com uma arma e um pedaço de madeira em sua residência, e ele agrediu seu namorado, que ficou inconsciente. Após a agressão, Orestes sacou sua arma e ameaçou a ex-companheira, no entanto, Valmir recobrou a consciência e mordeu o sobrinho de Bolsonaro, que disparou sua arma, não acertando ninguém no processo.

Após o acontecido, o casal conseguiu correr e fugir do local. O caso foi registrado na na Delegacia de Polícia de Barra do Turvo. Em depoimento, Orestes afirmou que “nervoso porque não concorda que [a ex-companheira] levasse o homem para o imóvel onde residiam”.

Com a situação, a ex-companheira do empresário obteve uma medida protetiva contra ele. De acordo com seu atual namorado, ela tem muito receio de Orestes, especialmente por conta dos filhos do ex-casal. Até o momento, o sobrinho de Bolsonaro ainda não se posicionou sobre as acusações.