Renan visa enquadrar Bolsonaro por crime de genocídio em relatório da CPI

O senador Renan Calheiros (MDB-AL), relator da CPI da Covid, pretende responsabilizar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pelo crime de genocídio, em função das políticas para os indígenas durante a pandemia no Brasil. As informações são da jornalista Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo.

Renan pretende contextualizar a política geral do governo para os indígenas, que segundo ele vulnerabilizam as reservas e facilitam a entrada de garimpeiros ilegais.

Além disso, o relatório também deverá citar que a vacinação de indígenas urbanos só foi priorizada pelo governo depois de decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).

A expectativa do relator é que o capítulo do documento que trata sobre a situação indígena tenha ampla repercussão internacional.