Pregões de Nova York sobem dois dígitos enquanto Bolsa do Brasil cai 12% no ano

Fonte: Bahia.Ba

Os mercados de ações globais entregaram ganhos consistentes ao longo de 2021, devido aos avanços no combate à pandemia de Covid-19 e às injeções de incentivos financeiros governamentais.

Algo que não tem ocorrido no Brasil, onde os negócios andaram para trás devido a uma combinação de sucessivas crises internas com um contexto externo desafiador para economias emergentes.

De acordo com informações da Folha de S.Paulo, de janeiro a setembro, o Ibovespa, índice de referência da Bolsa de Valores brasileira, caiu 6,75%. Se considerada a variação do dólar no período, a queda é aprofundada para 11,67%.

Por outro lado, nos Estados Unidos, os três principais indicadores acumulam ganhos. Dow Jones, S&P 500 e Nasdaq subiram 10,58%, 14,68% e 12,11%, respectivamente.

O desempenho brasileiro também destoa do crescimento de outras Bolsas relevantes no continente americano. Ao norte, os índices S&P/TSX, do Canadá, e S&P BMV IPC, do México, avançaram 15,86% e 12,93%, enquanto ao sul, o índice Merval, da Argentina, entregou lucro de 28,70%.

No mesmo período, o índice Euro Stoxx 50, que reúne 50 ações de empresas com maior volume de negociação da Europa, avançou 7,85%.

Ainda de acordo com o jornal, também cresceram os índices de referência das Bolsas de Londres (8,16%), de Paris (11,16%) e de Frankfurt (4,74%). Todas as comparações consideram as cotações em dólar americano, com base em dados da Bloomberg.