Vendas do varejo caem em agosto na Bahia

Fonte: Aratu On

As vendas no varejo baiano caíram 4,5% em agosto, no comparativo com o mesmo mês do ano passado. O setor vinha de seis altas mensais seguidas nesta base de comparação. A tendência até o final do ano, de acordo com a Fecomércio-BA, é termos novos recuos, pois o período de setembro a dezembro de 2020 foi marcado pela reabertura do comércio após a primeira onda de Covid-19. É uma base comparativa maior do que o intervalo entre março e julho.

Segundo o consultor econômico da Fecomércio-BA, Guilherme Dietze, apesar dos resultados negativos em agosto “o comportamento das vendas atuais em relação ao mesmo período pré-pandemia sofre menos interferências de eventos atípicos e traduzem a realidade de uma forma mais clara”. O faturamento em 2021 é 4,3% maior do que no mesmo mês dois anos atrás.

Os três setores que apresentaram faturamento abaixo do obtido em 2019 são: Outras atividades (-10,5%), vestuário, tecidos e calçados (-8,6%) e supermercados (-0,4%). A liderança entre os ramos que cresceram é do setor de materiais de construção (26,8%), seguido de vendas de veículos e motos (16,9%). “Esse segundo está se recuperando por conta da demanda reprimida e devido ao problema na cadeia da indústria automobilística”, comenta.