CBF libera áudio do VAR em pênalti contra o Bahia: “Ação de bloqueio”

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) liberou na tarde desta sexta-feira, 12, o áudio do diálogo entre o árbitro de campo, Vinicius Gonçalves Dias Araújo, e o VAR durante a partida entre Flamengo e Bahia, ocorrida na quinta-feira, 11, no Maracanã, pela 31ª rodada do Brasileirão da Série A.

O questionamento estaria em cima do polêmico desempenho da arbitragem durante a partida, que marcou um pênalti em favor do Flamengo e ainda expulsou outros três jogadores, sendo dois do Bahia e um da equipe carioca. A principal crítica, por parte da diretoria tricolor, ficou por conta da marcação da penalidade, aos 26 minutos do primeiro tempo.

Durante a conversa entre Vinícius Gonçalves e o VAR, existe a dúvida se a bola teria batido no peito ou no braço do zagueiro argentino Germán Conti. O árbitro de vídeo solicita que Vinícius narre o lance visto e ele diz ter percebido uma “ação de bloqueio” por parte do defensor tricolor, afirmação que fez com que fosse exigida a revisão no monitor.

“Eu vejo um bloqueio com a mão, mais alto que ombro. Eu vejo pegar na mão […] Eu vejo a bola pegar no bíceps (direito) dele, está vendo?”, argumenta Vinícius Gonçalves ao olhar no monitor do VAR.

O árbitro de vídeo, Elmo Alves Resende Cunha, confirma que a bola bateu no peito e, em seguida, teria ido no bíceps do zagueiro Conti. O juiz no gramado concorda e ratifica que seria uma “ação de bloqueio”. Em seguida, Vinícius Gonçalves afirma que vai manter a penalidade e o VAR apenas diz “ok”.

Expulsão de Rossi e Diego

A CBF ainda liberou o áudio do diálogo no momento da expulsão do atacante Rossi, do Bahia, e do meia Diego, do Flamengo. O lance ocorreu na etapa final, quando o jogador tricolor teria dado uma cotovelada no rosto do atleta rubro-negro. Em consequência do lance, Diego apertou o pescoço de Rossi, que ficou caído no gramado.

Inicialmente, Vinícius Gonçalves Dias assinalou apenas a agressão do jogador flamenguista, mas mostrou apenas o cartão amarelo. Questionado pelo VAR, o árbitro de campo foi analisar o lance e percebeu também a cotovelada anterior de Rossi. Dessa forma, ele muda a marcação e mostra o cartão vermelho para ambos.

Tratamento aos jogadores

Após a liberação do vídeo com a conversa do árbitro Vinícius Gonçalves Dias, o vice-presidente do Bahia, Vitor Ferraz, questionou um outro ponto em sua conta pessoal no Twitter: a diferença no tratamento dado aos jogadores de Bahia e Flamengo. A situação aconteceu enquanto o juiz caminhava para a cabine do VAR para analisar o lance da penalidade.

Na ocasião, o lateral-esquerdo Matheus Bahia e o volante Edson chegam a se aproximar do árbitro Vinícius Gonçalves, mas são repreendidos de forma ríspida por ele. “Sai de perto de mim, não quero saber”, falou o juiz aos jogadores do Esquadrão.

Logo em seguida, o meia Diego, do Flamengo, se aproxima de Vinícius e fala alguma coisa. A resposta do árbitro foi muito mais amistosa do que a ocorrida anteriormente com os atletas tricolores.

“Calma. Eu vou analisar, Diego. Por favor. (o jogador fala algo) Então vai, por favor. Você me conhece, vai”, respondeu o árbitro de campo ao meia flamenguista.

Na postagem nas redes sociais, Vitor Ferraz considerou o tratamento de Vinícius Gonçalves Dias como “discriminatório” e afirmou que o problema é algo grave, que vem sendo questionado pelos jogadores já há muito tempo. Em seguida, ele publicou o respectivo trecho do vídeo.

“Foi divulgado há pouco o áudio do VAR da partida de ontem. Sem esquecer do incontestável erro na marcação do pênalti p/ o Flamengo, precisamos falar sobre outro grave problema que há muito é relatado pelos atletas: o tratamento discriminatório que muitos árbitros adotam”, escreveu Ferraz no Twitter.