Homens invadem hospital no Guarujá (SP) e matam paciente a tiros

Dois homens invadiram um hospital na cidade do Guarujá, no litoral sul de São Paulo, e mataram a tiros um paciente que havia acabado de receber alta. O crime aconteceu por volta das 11h30 deste domingo (24).

A vítima, identificada como Gilianderson dos Santos, 37, estava em uma cadeira de rodas e aguardava trâmites para sua alta hospitalar quando os criminosos, que usavam capacetes, renderam dois funcionários do hospital, invadiram o local e dispararam contra o paciente diante da equipe médica.

Santos estava internado desde a sexta-feira (22) no Hospital Santo Amaro (HSA) após ter sido baleado na nádega e na perna. Na ocasião, estava sem documentos e apenas acompanhado de familiares, de acordo com informações do hospital. A polícia ainda não disse em que situação o paciente foi ferido a tiros.

O boletim de ocorrência diz que ele foi baleado após ter sido abordado por volta das 20h na ciclovia da Piaçaguera. A vítima foi socorrida consciente e disse à polícia que sua bicicleta e mochila foram levadas. ​

O caso foi registrado pela Delegacia Sede do Guarujá que acionou a 3ª Delegacia do ​Deic.​
Em nota, o HSA disse que Santos chegou ao hospital depois de ser transferido de uma unidade de pronto-atendimento do Jardim Conceiçãozinha, também no Guarujá.

O hospital afirmou ainda que a segurança do local é realizada através de monitoramento por câmeras e de “controladores de acesso distribuídos pela unidade”. Segundo o HSA, nunca houve nenhuma ocorrência do gênero desde a sua fundação há 60 anos. A instituição disse que está colaborando com a investigação.

O Hospital Santo Amaro é filantrópico, mantido pela Associação Santamarense de Beneficência do Guarujá e, desde 2018, atende exclusivamente pacientes do SUS (Sistema Único de Saúde).
​Já a SSP-SP (Secretaria de Estado de Segurança Pública de São Paulo) disse que a responsabilidade pela segurança das áreas internas da unidade é do hospital.

A pasta não respondeu se fez alguma alteração na segurança do entorno do local após o crime.
Também no domingo, as polícias civil e militar de São Paulo prenderam em Iporanga, no Vale do Ribeira, dois suspeitos de terem invadido o pronto-socorro municipal de Iporanga com um facão e uma faca e esfaqueado um homem de 40 anos.

A vítima estava recebendo atendimento após ter sido ferida na cabeça com uma garrafa de vidro pouco antes. A confusão teria começado durante um baile no salão de uma paróquia da região.
O homem esfaqueado está vivo e segue internado para observação. Não há mais informações sobre o seu estado de saúde.
À reportagem, a Policia Civil e a SSP disseram que não há relação entre os casos.